Arquivo mensal: junho 2013

“Eles se venderam” – O Metallica e suas estratégias para serem pop dentro do metal

Antes que qualquer fã mais aficionado venha querer tirar satisfações, o “pop” do qual eu me refiro não é, necessariamente, aquele feito pela Madonna, Rihanna, ou coisas do tipo, “pop” aqui é de popular, música consumida em larga escala e que acontece no contexto da música popular massiva. O Metallica foi a primeira banda de thrash metal a romper as barreiras do underground, no início da década de 80, e alcançar grande apelo comercial, no entanto esse rompimento seria o primeiro de muitas outras “quebras de protocolo” que os fazem carregar, já há algumas décadas, o rótulo de “vendidos” ou “traidores do movimento”. Amada e odiada/desacreditada por muitos o Metallica segue como uma das maiores bandas do rock do mundo e uma das maiores portas de entrada para novos fãs do gênero.

Leia o resto deste post

Anúncios

Resenha “Heavy Metal no Rio de Janeiro e Dessacralização de Símbolos Religiosos: A Música do Demônio na Cidade de São Sebastião das Terras de Vera Cruz” 2006. Pedro Alvim, tese.

*”Heavy Metal no Rio de Janeiro e Dessacralização de Símbolos Religiosos: A Música do Demônio na Cidade de São Sebastião das Terras de Vera Cruz”. Autor: Pedro Alvim Leite Lopes. Orientador: Prof. Dr. Gilberto Alves Velho. Tese de Doutorado apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social – Museu Nacional – UFRJ como parte dos requisitos necessários à obtenção do título de Doutor em Ciências Humanas (Antropologia Social). Rio de Janeiro, 2006.

O local da pesquisa feita por Pedro Alvim é a cidade do Rio de Janeiro e arredores, o foco de seu discurso é a apropriação de símbolos religiosos e seus valores tidos como dados e que são reapropriados – transformados em convenções artísticas pelo metal e seus atores. Para o autor este seria o principal motivo para os preconceitos e ataques sofridos pelo metal em diferentes frentes, principalmente numa cidade como o Rio de Janeiro, altamente ligada à tradições religiosas, não apenas a cristã, e com uma “tradição musical” bastante distante da realidade do metal.

Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: