Heavy Metal e Psicodelia, revisited

Judas Priest, 1974

Existe um consenso de que o “marco de criação do Heavy Metal” é o lançamento do “Black Sabbath” primeiro disco, homônimo, da banda Black Sabbath, em 13 de Fevereiro [uma sexta-feira] de 1970. Mas, essa é uma simplificação, que apesar de eficiente, não explica o contexto no qual ele foi sendo desenvolvido. Na verdade a “criação” do Heavy Metal e de qualquer outro gênero musical é parte de um processo.
Deena Weinstein em seu livro

“Heavy Metal, The Music and Its Culture” descreve de forma básica a dinâmica desse processo:“A princípio, o que mais tarde irá se tornar o código do gênero, aparece em canções isoladas. Em seguida, o trabalho de uma banda ou um aglomerado de bandas começa a exemplificar este código. Finalmente, a regra para a geração da música tocada por tais bandas são conscientemente reconhecidas e tornam-se um código para que outros possam emular.” (WEINSTEIN, 1991 p.14)

Logo, as raízes familiares do Metal encontram-se dispersas em diferentes gêneros, como Blues, Rock n’ Roll, Jazz e o que mais tarde ficou conhecido como “Rock Psicodélico” [entre outros]. Influências do rock psicodélico podem ser notadas nos primeiros trabalhos de algumas bandas e artistas que mais tarde foram mais associados ao metal.

Exemplos:

Judas Priest em seu primeiro trabalho “Rocka Rolla” de 1974

Além dos elementos estritamente musicais, reparem nas roupas, na performance de palco. Pouca coisa sobrou do visual, a não ser os cabelos compridos.

Motörhead também no primeiro disco “Motörhead“, em 1977

Judas Priest e Motörhead foram influenciados por outros artistas e bandas, que como cita a autora, tinham em suas músicas elementos dispersos do que mais tarde seria conhecido como Heavy Metal.
Jimi Hendrix; elementos influentes musicalmente e em sua performance. A guitarra tem lugar de destaque, o som é virtuoso e poderoso.

Blue Cheer; “Summertime Blues” do “Vincebus Eruptum”, 1968, álbum de estréia da banda. “O volume alto como característica estética da música” (WEINSTEIN, 1991 p.18)


Uriah Heep; “Os vocais são psicodélicos, mas a guitarra e o ritmo são do heavy metal rock inglês” Mike Sauders para a Rolling Stone em 1972

Pink Floyd ( primeiro disco”The Piper at the Gates of Dawn“, de 1969); o “art-rock”

Entre outros exemplos que poderiam estar ilustrando esse post.

O Heavy Metal se valeu de práticas, valores e atitudes que caracterizaram a geração Woodstok, “que se apropriou do jeans, da maconha e do cabelo comprido. Colocou os rock stars em pedestais, adotou uma desconfiança na autoridade social e considerou que a música é uma expressão séria e que a autenticidade era uma virtude moral essencial para os músicos de rock” (WEINSTEIN, 1991 p.18)Assim sendo, o “Rock Psicodélico” foi um elemento importante [de vários] na formação do Metal como o conhecemos hoje.

Bibliografia: Weinstein, D. (1991) Heavy Metal: The Music and its Culture, New York: De Capo Press.

Anúncios

Sobre Natália Ribeiro

*Editora do blog Rockalogy desde 2009 *Editora e Produtora do canal Metal Ground *Mestranda em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense - UFF *Graduação em Estudos de Mídia - UFF *Membro do Laboratório de Pesquisa em Culturas e Tecnologias da Comunicação - LabCULT, ligado ao PPGCOM/UFF. *Headbanguer Full Time

Publicado em 23 de dezembro de 2012, em Posts e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: