A importância das camisas de banda para a cena Metal

A camisa é peça básica do vestuário de praticamente todas as pessoas, homens, mulheres e crianças, de todas as idades*. É comum que sejam estampadas e/ou coloridas e que através delas estejamos representando nosso estilo, nossas identidades, dialogando com os outros de alguma forma. Para a cena Metal e para os headbangers a camisa de banda é como um código, carregado de significados, representando o que eles são para os outros, e os distinguindo entre os do grupo.
**”O Heavy Metal é dividido internamente em um número de subgêneros distintos, definido ‘cenas’, algumas das quais têm uma relação antagônica à ideia de ‘heavy metal’ como um mainstream ‘institucionalizado’ (Harris 2000). No entanto, para os de fora, quase todos os membros dos vários grupos e subgrupos, pode parecer como uma única entidade homogênea, caracterizada por cabelos compridos, jeans, jaquetas de couro preto e camisetas. A camiseta tem um papel fundamental tanto na definição das fronteiras da cultura juvenil para os de fora, assim como um meio de sinalizar diferenciações importantes entre os iniciados.

(BROWN, p.72)

Assim como ir aos eventos, conhecer as músicas, comprar os CDs, usar uma camisa de banda é uma forma de anunciar seu gosto para os outros, sendo eles de dentro, ou de fora da cena. Usar uma camisa de Metal quer dizer que de alguma forma você compactua com a cena e que desta forma, está declarando sua fidelidade ao estilo musical, daí a comparação que fazem com a ideia de uniforme. Se autoidentificando e indicando seu gosto e aspirações para os outros.
Ser identificado com um headbanger é importante, pois está ligado a ideia de autenticidade/legitimidade dentro da cena. É preciso que você seja reconhecido como um deles para fazer parte. O reconhecimento do grupo tem um valor maior do que o reconhecimento dos que não são do grupo. Não é possível anotar uma hierarquia clara entre os elementos nos diferentes grupos de headbagers, mas também não possível afirmar que ela não exista.
 Exemplo: um recém-chegado com uma camisa do Metallica, provavelmente vai ser visto com mais desconfiança do que um que chegar com a camisa do Kreator, e digamos que ele vai ser quase automaticamente aceito pelo grupo dos Thrashers se chegar com uma camisa do Nuclear Assault. O que isso quer dizer?
É que quanto mais conhecimento subcultural ele tiver [representado a primeira vista pela camisa] mais legitimado ele será pelo grupo, no entanto é preciso conseguir provar esse conhecimento, pois é comum que pessoas que também conheçam as bandas puxem assunto sobre ela. “Conseguir um aceno de aprovação ou sorriso de reconhecimento para a camisa que está vestindo provoca uma sentimento de inclusão e de ‘honra social’ (Weber).” (BROWN, p.75)
Aonde encontrar essas camisas?

Basicamente em lojas do ramo, que são raras nos centros e quase inexistentes em cidades do interior e camelôs para as bandas mais conhecidas, via internet em web stores especializadas e/ou indo a eventos e adquirindo camisetas das bandas diretamente. 
Camisetas oficiais de turnê de bandas “mainstream”, a venda nos shows “grandes” custam de R$ 50,00 a R$ 80,00 em média, o que é muito caro para os padrões brasileiros underground.
Camisetas em lojas do ramo, “rock stores”, Fnac, “web stores” e afins, custam de R$ 25,00 a R$ 50,00. Na internet é possível encontrar camisas com bandas menos conhecidas, no entanto acabam saindo mais caras por conta do valor do frete.
Camelôs, normalmente em algum canto do centro da cidade, custam de R$ 18,00 a R$ 35,00 em média, nem sempre a qualidade da estampa é boa, mas é possível achar algumas muito legais, embora só sejam encontradas bandas com mais apelo na mídia ou mais conhecidas.
Nos eventos, geralmente as bandas cobram de R$ 15,00 a R$ 25,00 por camisa, vale lembrar que embora custem mais barato, essas camisas muitas vezes podem representar um valor subcultural muito maior do que a camisa de uma banda mainstream que custou muito mais caro, pois elas representam um comprometimento maior com a cena. Como são produzidas pelas próprias bandas muitas das vezes, elas carregam um ar de exclusividade, pois não são produzidas em larga escala, e por isso também custam mais barato.
*Considero também nesse hall as baby looks, camisas mais adaptadas ao corpo feminino.

**  “Heavy metal is internally divided into a number of distinct subgenre defined ‘scenes’, some of which have an antagonistic relationship to the idea of ‘heavy metal’ as an ‘institutionalized’ mainstream (Harris 2000). Yet to outsiders, nearly all members of the various subyouth groups can appear as a homogenous entity, characterized by long hair, denims, leather jackets and black t-shirts. The t-shirt plays a key role both in defining the borders of the youth culture to those on the outside and as a means of signaling important differentiations within it to insiders.” (BROWN, p.72)*


Bibliografia: BROWN, Andy _ Rethinking the subcultural commodity, The case of heavy metal t-shirt culture(s) in _ Youth cultures : scenes, subcultures and tribes / edited by Paul Hodkinson and Wolfgang Deicke. 2007
Camisa da banda carioca Unmasked Brains
Para adquirir entre em contato http://www.facebook.com/unmaskedbrains  

Anúncios

Sobre Natália Ribeiro

*Editora do blog Rockalogy desde 2009 *Editora e Produtora do canal Metal Ground *Mestranda em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense - UFF *Graduação em Estudos de Mídia - UFF *Membro do Laboratório de Pesquisa em Culturas e Tecnologias da Comunicação - LabCULT, ligado ao PPGCOM/UFF. *Headbanguer Full Time

Publicado em 4 de julho de 2012, em Posts. Adicione o link aos favoritos. 4 Comentários.

  1. Eu gosto de Heavy Metal pela música, e não para ser aceito em nenhum grupo social. Acredito que esse lance de se preocupar com a aparência ante o gosto musical caracteriza um típico poser.

  2. Qualquer um pode ouvir Heavy Metal, para ouvir não é preciso vestir uma camisa preta nem nada do tipo, assim como para ouvir Axé não preciso saber dançar, cada um ouve o que quiser da forma como bem entender. Mas o Heavy Metal, assim como outros gêneros musicais, possui uma dimensão para além da música propriamente dita, ele pode ser entendido como uma cultura, e como uma cultura existem diferentes níveis de imersão. Não se pode negar a importância da dimensão visual para o Heavy Metal."Visual" no Heavy Metal não é sinônimo de "poser", os posers podem ser entendidos como aqueles fãs que dão mais importância ao visual do que para o som, mas também são aqueles que querem mostrar um "nível de imersão" que não possuem,de qualquer forma é um termo genérico e que não está ligado unicamente a questão do "visual".

  3. Me expressei mal. O que quis dizer foi: Música é música e moda é moda. As camisas de banda tem seu valor dentro da cena Heavy sim, mas esse valor muda de grupo para grupo. Essa importância não está necessariamente ligada ao Heavy Metal em si, mas a diversos fatores. E o texto tá de parabéns por apontar alguns desses fatores e esclarecer um pouco mais sobre o gênero, mas falha na parte em que generaliza o tema. No mais, essa foi só minha opinião pessoal e parabéns pelo blog, irei acompanhar sempre. \,,/_

  4. gostei do post, agora msm to procurando uma camisa da banda Tool, ta muito complicado achar

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: