Punk e Heavy Metal

O Heavy Metal já estava lá quando o Punk deu as caras no final da década de 70, lá que eu digo é Nova York e Los Angeles de onde depois se espalhou. É fácil esvaziar a atitude Punk de hoje, apesar do movimento estar em eterna resistência e também ter se subdividido, como um amigo disse certa vez: “Ele vai assustar a quem com esse visual? O Trocador do ônibus?”, mas no final da década de 70 o Punk desbravava territórios.
Ele tinha uma relação diferente com a música, musicalmente a regra era fazer o contrário do que as bandas de Heavy Metal e Hard Rock vinham fazendo até então, ou seja, nada muito melódico, ou melhor, esquece a melodia, a música era a mais simples possível. Esse tipo de atitude mostra que a questão central do Punk não estava na música em si, mas no que vinha junto com ela. Se por um lado as melodias eram pobres e (muitas vezes propositalmente) mal tocadas, as letras eram sobrecarregadas de palavras de ordem, de protestos, de manifestos, etc. da forma mais direta possível.
O Punk era visual e atitude, tinha a questão comportamental e a da moda/consumo, esses quesitos não se sobrepunham à música e vise-versa, estavam unidos e quase inseparáveis. Nesse momento as bandas de Heavy Metal (nesse caso as que surgiram em 70) viram o apoio das gravadoras caírem de forma considerável, em conseqüência disso diversos selos independentes estavam se formando e ganhando mercado, o que possibilitou uma maior autonomia para os estilos musicais que a partir daí se segmentariam em diversas vertentes, algo estava mudando.
1977 – Never mind the bollocksm here’s the Sex Pistols _ Sex Pistols
1977 – Motörhead _ Motörhead
Nesse mesmo ano Ozzy Osbourne deixa o Black Sabbath dizendo que os últimos álbuns estavam depressivos demais para ele, que também estava enfrentando um momento difícil, mas volta a tempo de gravar Never Say Die, que é lançado em 1978.
Não é que o Punk deva algo ao Heavy Metal, nem que o Heavy Metal deva algo ao Punk, o que eu quero mostrar é que foram movimentos contemporâneos, que coexistiram durante um determinado período de tempo (+ ou – 1976 a 1980), e que por isso não escaparam ilesos dos seus eventuais choques e contatos, houve sim uma auto-contaminação.

Anúncios

Sobre Natália Ribeiro

*Editora do blog Rockalogy desde 2009 *Editora e Produtora do canal Metal Ground *Mestranda em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense - UFF *Graduação em Estudos de Mídia - UFF *Membro do Laboratório de Pesquisa em Culturas e Tecnologias da Comunicação - LabCULT, ligado ao PPGCOM/UFF. *Headbanguer Full Time

Publicado em 25 de outubro de 2010, em Posts. Adicione o link aos favoritos. 1 comentário.

  1. O motorhead é um exemplo claro d q o punk se mistura ao rock n roll e tbm ao heavy metal.Bandas como slayer e metallica smp se mostraram bastante influenciadas por bandas punk,q concerteza foram essenciais para as composições ''fast'' de bandas clássicas dos anos 80.

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: