Sobrevivendo no Underground

As bandas do underground sobrevivem com seu próprio esforço, já que tudo funciona, meio que, de forma independente.
Gasta-se com equipamentos, estúdio, transporte e material de divulgação, muitas vezes para tocarem em um evento a troco de nada e o que é comum acontecer também, é que a banda acabe pagando para poder tocar, são poucas as bandas que recebem pelo seu trabalho.
Não bastasse tocar de graça ou pagar para se apresentar, a banda é quem sai à procura de shows.
Soa um tanto estranho para quem nunca pensou na trajetória de um artista, de seu primórdio à sua consagração. Não é tão simples essa conexão, porque quando uma banda “aparece”, quer dizer que ela já cruzou todo esse percurso, ou simplesmente pulou essa parte.
Pode-se dizer que o underground é um meio amador que conta com pouca infra-estrutura, e por assim dizer, com pouco capital, tanto para a divulgação, quanto para a locação de um sistema de som e um espaço. Entra aí a figura do produtor(es) desses eventos, que entram com o capital inicial para que o evento se realizar.
Uma vez sobre o palco é preciso mostrar seu trabalho de forma competente e concisa, pois o tempo é curto e a aparelhagem não é confiável. O público a maioria das vezes é compreensivo e receptivo, nos cinco primeiros minutos de apresentação, depois disso quem conseguir manter as pessoas ligadas ao show pode se considera vitoriosa, pois todo seu esforço terá valido à pena.
Quanto mais pessoas querem ver e ouvir determinada banda, mais ela se afasta do underground.
Não é fácil sobreviver a essa “prova de fogo”, muitas bandas sucumbem sem sair do anonimato, ou antes mesmo de terem algum trabalho registrado. Problemas internos entre integrantes, problemas com os produtores, a frustração de não ter seu trabalho recebido da forma como esperavam, etc. Tudo isso põe à prova bandas que, além de talento,contam com grande força de vontade, trabalham duro e acreditam no seu trabalho e potencial.

Anúncios

Sobre Natália Ribeiro

*Editora do blog Rockalogy desde 2009 *Editora e Produtora do canal Metal Ground *Mestranda em Comunicação Social pela Universidade Federal Fluminense - UFF *Graduação em Estudos de Mídia - UFF *Membro do Laboratório de Pesquisa em Culturas e Tecnologias da Comunicação - LabCULT, ligado ao PPGCOM/UFF. *Headbanguer Full Time

Publicado em 27 de agosto de 2009, em Posts. Adicione o link aos favoritos. 2 Comentários.

Comentar

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: